Anvisa suspende importação de remédio contra o vírus do herpes

Medida vale apenas para medicamento aciclovir feito por empresa chinesa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu a importação do medicamento aciclovir, contra o vírus do herpes, fabricado pela empresa chinesa Zhejiang Zhebei Pharmaceutical Co. Ltd.

Foram identificadas irregularidades no remédio durante uma inspeção feita entre 9 e 13 de abril.
A medida foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (4) e, segundo a Anvisa, essa é uma ação de interesse sanitário. A sede da empresa fica na cidade de Xinshi, província de Zhejiang, no sudeste da China.

Como age o aciclovir

O aciclovir é o principal remédio para evitar o aparecimento das lesões causadas pelo herpes. O medicamento não mata o vírus, apenas impede sua reprodução. A hora certa de passar o produto é quando a pessoa começa a sentir aquela sensação de coceira, calor e incômodo localizados. Se aplicado em tempo, o medicamento inibe a reprodução do vírus e evita a criação de ferimentos na camada mais superficial da pele.

Muita gente aplica o aciclovir quando já está com a lesão, e isso é errado porque, depois de 72 horas da fase do comichão e da coceira, o remédio já perde quase que completamente sua eficácia.
No caso do herpes zoster, também podem ser tomadas vacinas imunoestimulantes, que diminuem a frequência e a intensidade da doença. Por isso, é importante procurar um médico logo que o problema surge.

Mais suspensões

A Anvisa também determinou a interdição cautelar em todo o país do lote AR 069 do medicamento Sinvaston, contra o colesterol.

Os comprimidos revestidos, com validade até janeiro de 2014, são fabricados pela empresa Sanval Comércio e Indústria Ltda. e tiveram resultado insatisfatório em testes.

Além disso, a Anvisa publicou no Diário Oficial desta terça a proibição da fabricação, divulgação, distribuição, comércio e uso de todas as mesas cirúrgicas intituladas ``Mesas Cirúrgicas Elétricas``, da empresa Impromed do Brasil Indústria e Comércio de Produtos Médicos.

As mesas foram suspensas por não terem registro sanitário. A empresa responsável deverá recolher todos os produtos existentes no mercado.

Fonte: G1

<<Voltar para Notícias




Receba as nossas novidades em seu e-mail.
Nome:

Data de Nascimento:

Email:




Esclarecimento de quaisquer dúvidas, no prazo de 48 atendimento jurídico virtual(quarenta e oito) horas nas áreas trabalhista (preventiva e contenciosa) e da saúde, através de atendimento virtual.

MAIS

Avenida Paulista, 2.202 – conj. 31 - Cerqueira Cesar – São Paulo - CEP 01310-932
Telefone: (11) 4063-0693 - E-mail: mnmakino.direitomedico@gmail.com
Website desenvolvido por: Andréa Mari