CE: Antienvelhecimento - Cremec vai investigar médicos

Médicos cearenses receitam hormônios para retardar o envelhecimento; prática é condenada pelo CFM

O Conselho Regional de Medicina do Ceará (Cremec) informou que abrirá sindicância com o objetivo de investigar se houve infração ética por parte dos médicos cearenses Wagner Gonzaga e Ítalo Rachid, denunciados, em reportagem do programa ``Fantástico``, da Rede Globo, por oferecer tratamentos hormonais rejuvenescedores que eles garantem ser revolucionários, mas que, na verdade, são condenados pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). 

De acordo com o vice-presidente da entidade, Lúcio Flávio Gonzaga Silva, se houver indícios de irregularidades, aí sim, será aberto processo, cabendo, em caso de condenação, punições que vão desde advertência confidencial até a cassação. 

``O Cremec acompanha o CFM em seu posicionamento sobre o caso e está preocupada com a população que, muitas vezes, não tem informação sobre o uso inadequado de hormônios``, destaca, explicando que o problema é o desequilíbrio hormonal gerado e suas consequências, que vão de diabetes até câncer. 

Silva reafirma que, de acordo com o Parecer do CFM nº 29/12, não se reconhece no Brasil a especialidade médica de antienvelhecimento, bem como não há registros na União Europeia e nos Estados Unidos. 

O parece do Conselho, salienta o vice-presidente, conclui que a modulação hormonal bioidêntica ``vem a ser nada mais do que o uso de hormônio fabricado em laboratório, manipulado em farmácia magistral e prescrito com finalidade terapêutica não sustentável cientificamente e, desse modo, não aprovada pelas sociedades medicas acreditadas``. O parecer acrescenta que, no Brasil, pelo menos cinco médicos foram cassados nos últimos quatro anos por usar técnicas sem comprovação científica. 

Reportagem 
No último domingo (5), o ``Fantástico`` exibiu reportagem que mostrava os ``doutores do antienvelhecimento``, médicos que oferecem tratamentos hormonais que seriam rejuvenescedores. 
O programa mostra consulta realizada por um dos médicos em questão. Um paciente de 51 anos e 90 quilos reclama de hipertensão e cansaço crônico. Sem qualquer exame de laboratório, o profissional receita o primeiro hormônio: ``testosterona, que protege o coração dele``. 

A seguir, a reportagem destaca uma pesquisa com quase quatro mil homens idosos na Austrália, publicada na semana passada, que concluiu que pacientes com índices elevados de testosterona livre, a responsável pela atuação do hormônio no organismo, têm risco 9% maior de desenvolver câncer de próstata. 

Também estão entre as substâncias indicadas pelos médicos a melatonina, o cortisol, o hormônio do crescimento, progesterona e testosterona. 

Representantes da Sociedade Brasileira de Geriatria analisaram a conduta dos doutores antienvelhecimento. ``Não se pode prescrever nenhum hormônio sem ter o teste de dosagem deste``, explica a entidade. A Sociedade Brasileira de Endocrinologia no Ceará aguarda posicionamento da entidade nacional para se pronunciar. 

Na segunda-feira (6), o CFM divulgou parecer condenado a prática. O Conselho concluiu que a falta de evidências científicas e os riscos e malefícios que trazem à saúde não permitem o uso de terapias hormonais contra o envelhecimento. 

``Os trabalhos reunidos até o momento mostram que, em pessoas saudáveis, o uso dos hormônios aumenta o risco de uma série de doenças``, afirmou a geriatra Maria do Carmo Lencastro, integrante da Câmara Técnica do CFM. 

Perigos 

No caso do hormônio da tireoide, por exemplo, o uso em pessoas saudáveis pode levar ao hipertireoidismo. Já o hormônio de crescimento, quando em grandes quantidades no organismo, pode levar a problemas cardiovasculares. ``O uso desses hormônios provoca uma sobrecarga no organismo, e, em consequência, um desajuste hormonal``, ressaltou a geriatra. 

Esta é a segunda recomendação feita pelo CFM relacionada a terapias que prometem retardar o envelhecimento. Em 2010, resolução do colegiado proibiu a indicação de terapia ortomolecular por não haver eficácia comprovada. 

A equipe de reportagem tentou contatar os médicos Wagner Gonzaga e Ítalo Rachid, mas não foi atendida. 

Fonte: Diário do Nordeste
<<Voltar para Notícias




Receba as nossas novidades em seu e-mail.
Nome:

Data de Nascimento:

Email:




Esclarecimento de quaisquer dúvidas, no prazo de 48 atendimento jurídico virtual(quarenta e oito) horas nas áreas trabalhista (preventiva e contenciosa) e da saúde, através de atendimento virtual.

MAIS

Avenida Paulista, 2.202 – conj. 31 - Cerqueira Cesar – São Paulo - CEP 01310-932
Telefone: (11) 4063-0693 - E-mail: mnmakino.direitomedico@gmail.com
Website desenvolvido por: Andréa Mari