Consultas já podem ser marcadas on-line

Quatro serviços desse tipo foram abertos no país neste ano e listam médicos e dentistas segundo região e convênio

A marcação de consultas pela internet virou negócio no Brasil. Desde o início do ano, quatro sites que permitem agendar on-line uma visita ao médico foram lançados em São Paulo -e têm planos de expandir a área de cobertura.

As páginas são inspiradas na americana ZocDoc, lançada em 2007 e que atrai cerca de 1,2 milhão de usuários por mês, segundo o serviço.

``As pessoas já fazem buscas de médicos na internet. Agora já podem marcar consultas a qualquer hora do dia``, diz Paulo Piccini, 29, fundador do site YepDoc, lançado em abril.

Segundo ele, a maioria das consultas são agendadas fora do horário comercial.

No site, o paciente escolhe o convênio (ou consulta particular), a especialidade e a região. A página gera uma lista de médicos com os dias e os horários disponíveis. O agendamento é confirmado por e-mail.

Bartolomeu Cavalcanti, 25, cofundador e diretor do site Dr. Busca, aberto em janeiro, afirma que, para o paciente, a maior vantagem é não ter de ligar para vários consultórios até achar a data mais apropriada. O serviço ainda envia um SMS para lembrar o paciente da consulta quando o dia se aproxima.

Grávida de seis meses, Edilene da Silva Carvalho, 30, marcou sua consulta com o obstetra pela internet. ``Mudei de médico porque minha gravidez foi considerada de alto risco. Procurei o médico indicado no Google e ele estava no Dr. Busca. Foi prático resolver tudo on-line.``

Para os médicos, a vantagem é preencher seus horários livres de forma mais simples e acessar a agenda de qualquer lugar, segundo Daniela Bouissou, médica e fundadora do go2Doc.

O paciente não paga pelo serviço oferecido pelos sites, mas os profissionais, como médicos, dentistas e nutricionistas, pagam uma mensalidade de R$ 100 a R$ 250.

No AvalDoc, além de marcar a consulta, o usuário pode avaliar os consultórios, com critérios como localização e tempo de espera. O site tem cerca de 200 médicos e 60 dentistas cadastrados.

RESSALVAS

Renato Azevedo, presidente do Cremesp (Conselho Regional de Medicina de São Paulo), teme que o serviço crie concorrência desleal.

``O médico deve aumentar o número de pacientes atendidos pelo `boca a boca` ou pela indicação de outros profissionais. Qualquer coisa além disso esbarra na questão ética. Há um serviço que visa ao lucro intermediando a relação médico-paciente.``

Segundo Azevedo, só os planos de saúde podem fazer esse tipo de intermediação, porque há um órgão que regulamenta e supervisiona essa relação contratual -a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).


Fonte: Folha de S.Paulo / MARIANA VERSOLATO

<<Voltar para Notícias




Receba as nossas novidades em seu e-mail.
Nome:

Data de Nascimento:

Email:




Esclarecimento de quaisquer dúvidas, no prazo de 48 atendimento jurídico virtual(quarenta e oito) horas nas áreas trabalhista (preventiva e contenciosa) e da saúde, através de atendimento virtual.

MAIS

Avenida Paulista, 2.202 – conj. 31 - Cerqueira Cesar – São Paulo - CEP 01310-932
Telefone: (11) 4063-0693 - E-mail: mnmakino.direitomedico@gmail.com
Website desenvolvido por: Andréa Mari