Emergência não pode ser negada pelo plano

Nesses casos, atendimento tem que ser dado 24 horas após o início do contrato

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio (TJ-RJ) determinou que, em casos de urgência e emergência, as operadoras de saúde Unimed Rio, Intermédica, Assim, Amil, Amico, Dix e Golden Cross autorizem — a partir da carência de 24 horas após a contratação do plano — todos os tratamentos, exames e internações. A regra vale também para possíveis intervenções cirúrgicas e liberação de materiais solicitados. A decisão partiu de uma ação civil pública movida pelo Núcleo de Defesa do Consumidor (Nudecon), da Defensoria Pública do Rio. 

— A lei diz que, em casos de urgência e emergência, o prazo de carência é de 24 horas. Só que as operadoras não o cumprem. Às vezes, o paciente já estava há cinco dias no plano, mas, ainda assim, havia negativa para as emergências — explicou a defensora Larissa Davidovich. 

A Justiça ainda determinou que os planos ambulatoriais (que não incluem internação) devem assistir os pacientes, mesmo após 12 horas de atendimento. Hoje, eles são encaminhados à rede pública, após o período. 

Fonte: Jornal Extra

<<Voltar para Notícias




Receba as nossas novidades em seu e-mail.
Nome:

Data de Nascimento:

Email:




Esclarecimento de quaisquer dúvidas, no prazo de 48 atendimento jurídico virtual(quarenta e oito) horas nas áreas trabalhista (preventiva e contenciosa) e da saúde, através de atendimento virtual.

MAIS

Avenida Paulista, 2.202 – conj. 31 - Cerqueira Cesar – São Paulo - CEP 01310-932
Telefone: (11) 4063-0693 - E-mail: mnmakino.direitomedico@gmail.com
Website desenvolvido por: Andréa Mari