ES: Conselho de Enfermagem descarta erro médico

Como não foi detectado erro no trabalho da enfermeira, o Coren-ES vai esperar o laudo da necrópsia para saber a causa da morte de paciente

Fiscais do Conselho Regional de Enfermagem do Espírito Santo (Coren-ES) estiveram ontem no Pronto Atendimento (PA) de Itacibá, em Cariacica para apurar as denúncias da família de Maria Lúcia dos Santos, que morreu no último domingo no Hospital São Lucas. Familiares da dona de casa acusam médico e enfermeira do PA de Itacibá, de administrarem a medicação Buscopan Composto na vítima, mesmo sabendo que ela era alérgica ao remédio. 

Segundo o presidente do Coren-ES, Antônio Coutinho, os fiscais não encontraram irregularidades no trabalho da enfermeira que estava de plantão na noite de sábado para domingo. “Já detectamos preliminarmente que a a enfermeira, de curso superior, administrou a medicação de forma correta, e a medicação também foi prescrita pela médica de forma correta”, conta. 

Sobre a questão da dona de casa ser alérgica ao medicamento, Antônio Coutinho, diz que o remédio que a vítima tomou não causa reação alérgica. “A medicação administrada nela foi o Buscopan Simples e esse remédio não causa alergia. Se fosse o Buscopan Composto, que contém dipirona, aí sim teria alguma implicação. Mas a medicação aplicada nela foi Buscopan Simples”, disse. 

Laudo aguardado 

O irmão da vítima, Renato Santos, tentou na tarde desta segunda-feira pegar a cópia do prontuário, mas não obteve sucesso. “Eu tentei agora à tarde pegar uma cópia do prontuário no Hospital São Lucas para saber qual medicamento ela tomou no PA, só que me falaram que só com ordem judicial eles podem liberar o prontuário”, explicou. 

Como não foi detectado erro no trabalho da enfermeira, o Coren-ES vai esperar o laudo da necrópsia para saber a causa da morte de Maria Lúcia. A Delegacia de Polícia de Itacibá irá investigar o caso, mas como a ocorrência foi feita na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória - por ter ocorrido no final de semana - o delegado responsável Judson de Oliveira Marques ainda não recebeu o documento. 

Fonte: Gazeta Online
<<Voltar para Notícias




Receba as nossas novidades em seu e-mail.
Nome:

Data de Nascimento:

Email:




Esclarecimento de quaisquer dúvidas, no prazo de 48 atendimento jurídico virtual(quarenta e oito) horas nas áreas trabalhista (preventiva e contenciosa) e da saúde, através de atendimento virtual.

MAIS

Avenida Paulista, 2.202 – conj. 31 - Cerqueira Cesar – São Paulo - CEP 01310-932
Telefone: (11) 4063-0693 - E-mail: mnmakino.direitomedico@gmail.com
Website desenvolvido por: Andréa Mari