Grã-Bretanha descarta risco de próteses PIP

Keogh estudou as 240 mil marcas de silicone da Grã-Bretanha e avaliou dados de outros países

Relatório do Serviço Nacional de Saúde da Grã-Bretanha concluiu ontem que os implantes mamários da empresa francesa Poly Implant Prothese (PIP) não ameaçam a saúde das mulheres que colocaram silicone em seus seios. A informação foi divulgada por Bruce Keogh, diretor médico do serviço, que ficou responsável por investigar se o silicone prejudicaria as 47 mil mulheres que fizeram implantes com a PIP na Grã-Bretanha.

A apuração foi ordenada pelo governo britânico em dezembro, quando surgiram as suspeitas de que silicone industrial teria sido usado nos implantes, que poderiam se romper e vazar a substância, tornando-se uma ameaça perigosa à saúde das mulheres. Na época, os implantes da PIP foram retirados do mercado.

Keogh estudou as 240 mil marcas de silicone da Grã-Bretanha e avaliou dados de outros países. Ele afirmou que os implantes da PIP têm mais chances de rompimento que o das concorrentes, mas que isso não representa um risco de saúde às mulheres. Segundo ele, os testes mostraram que o silicone não é tóxico. ``Não há ameaças a  prazo para as mulheres, mas esses implantes estão abaixo do padrão se comparados aos outros.`` / AP, EFE e AFP

Silicone era impróprio

O escândalo das próteses mamárias veio à tona no fim de 2011, com a comprovação de que a fabricante francesa usava silicone impróprio para humanos. Nas próteses PIP, o silicone médico era substituído por uma mistura que continha 75% de gel industrial de fabricação própria e apenas 25% de silicone de boa qualidade, de fabricação americana. No Brasil, o registro do produto foi cancelado em janeiro pela Anvisa. Após muita discussão, ficou definido que o SUS e os planos de saúde bancariam a retirada e a troca de próteses defeituosas, desde que houvesse indicação médica para o procedimento. O escândalo envolveu cerca de 500 mil mulheres, 25 mil delas do Brasil.

<<Voltar para Notícias




Receba as nossas novidades em seu e-mail.
Nome:

Data de Nascimento:

Email:




Esclarecimento de quaisquer dúvidas, no prazo de 48 atendimento jurídico virtual(quarenta e oito) horas nas áreas trabalhista (preventiva e contenciosa) e da saúde, através de atendimento virtual.

MAIS

Avenida Paulista, 2.202 – conj. 31 - Cerqueira Cesar – São Paulo - CEP 01310-932
Telefone: (11) 4063-0693 - E-mail: mnmakino.direitomedico@gmail.com
Website desenvolvido por: Andréa Mari