Médicos de 15 Estados podem parar atendimento a planos

Proposta é suspender consultas e exames por até 2 semanas, a depender do local

Vendo como insatisfatória as negociações com as operadoras de saúde, entidades médicas prometem nova paralisação contra os planos -a quarta desde abril de 2011. A partir de amanhã, médicos de ao menos 15 Estados podem suspender os atendimentos eletivos; os de urgência e emergência deverão ser mantidos. Desta vez, a suspensão pode ser mais longa, a depender do Estado.

No Maranhão, por exemplo, a ideia é que o atendimento a sete operadoras seja suspenso do dia 10 ao 24. Em São Paulo, a proposta é paralisar do dia 10 ao 18 o atendimento a 12 operadoras.
A orientação é que consultas e exames eletivos marcados para essas datas sejam remarcados pelos médicos.

Os pacientes podem ainda pagar e pedir reembolso aos planos, dizem as entidades que coordenam a paralisação -CFM (Conselho Federal de Medicina), Fenam (Federação Nacional dos Médicos) e AMB (Associação Médica Brasileira).

Amapá, Ceará, Distrito Federal, Pará e Roraima não devem parar, mas há atos previstos. E sete Estados ainda fariam assembleias para decidir o alcance local do movimento. A mobilização, com as paralisações e atos, está prevista de 10 a 25 de outubro.

Os médicos reivindicam reajuste nos valores pagos pelos planos, assinatura de contratos prevendo índice e periodicidade para reajustes e reajustes coletivos, entre outros.

De 2000 a 2011, segundo as entidades, o reajuste pago pelos usuários às operadoras foi de 150%, e o pago aos médicos ficou próximo de 50%.

Aloísio Tibiriça, do CFM, diz que o país está prestes a ter o ``apagão da saúde suplementar``, por longas filas, baixos honorários e falta de médicos.

A FenaSaúde, que reúne 15 grupos de operadoras, incluindo algumas grandes no país, diz que suas associadas ``praticam reajustes regulares para procedimentos médicos e consultas``. ``No acumulado de 2005 a 2011, os honorários dos médicos aumentaram em 71,6%, enquanto a inflação acumulada (IPCA) foi de 41,9%.`` (JOHANNA NUBLAT)

Fonte: Folha de S.Paulo

<<Voltar para Notícias




Receba as nossas novidades em seu e-mail.
Nome:

Data de Nascimento:

Email:




Esclarecimento de quaisquer dúvidas, no prazo de 48 atendimento jurídico virtual(quarenta e oito) horas nas áreas trabalhista (preventiva e contenciosa) e da saúde, através de atendimento virtual.

MAIS

Avenida Paulista, 2.202 – conj. 31 - Cerqueira Cesar – São Paulo - CEP 01310-932
Telefone: (11) 4063-0693 - E-mail: mnmakino.direitomedico@gmail.com
Website desenvolvido por: Andréa Mari