Médicos militares abandonam cargos por não poderem acumular funções

Médicos lutam pela aprovação da PEC 122/2011 que estende aos profissionais das Forças Armadas a possibilidade de acumulação de cargos

Médicos militares estão abandonando suas carreiras devido à não permissão do duplo vínculo pela Constituição Federal. Os profissionais da saúde das Forças Armadas buscam acumular funções a exemplo dos demais servidores civis. Segundo o médico do exército do Rio de Janeiro, Clóvis Ferreira Santos*, a complementação do salário e a experiência no trabalho civil são os grandes objetivos.

``O segundo vínculo é muito importante porque soma a remuneração defasada e dá oportunidade de tratar doenças diferentes, operar pacientes, principalmente no SUS. É um enriquecimento profissional e técnico, até porque antes de nos tornamos militares, somos médicos``, explicou.

A PEC 122/2011, de autoria do senador Marcelo Crivella (PRB RJ), que estende aos profissionais de saúde das Forças Armadas a possibilidade de cumulação de cargo, está na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. O senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) foi indicado para relatoria no dia 27 de junho.

``A aprovação da PEC vai ser valorosa para os militares por oficializar a questão e não deixar brechas na Constituição,`` ressaltou.

*Nome fictício. Entrevistado não quis ser identificado.

Fonte: Fenam

<<Voltar para Notícias




Receba as nossas novidades em seu e-mail.
Nome:

Data de Nascimento:

Email:




Esclarecimento de quaisquer dúvidas, no prazo de 48 atendimento jurídico virtual(quarenta e oito) horas nas áreas trabalhista (preventiva e contenciosa) e da saúde, através de atendimento virtual.

MAIS

Avenida Paulista, 2.202 – conj. 31 - Cerqueira Cesar – São Paulo - CEP 01310-932
Telefone: (11) 4063-0693 - E-mail: mnmakino.direitomedico@gmail.com
Website desenvolvido por: Andréa Mari