Médicos paulistas param de atender planos de saúde em setembro

As urgências e emergências estarão garantidas

Em plenária estadual no dia 9 de agosto, na sede da Associação Paulista de Medicina (APM), lideranças representativas de todos os médicos do estado de São Paulo decidiram por unanimidade interromper o atendimento eletivo aos planos de saúde como protesto em 6 de setembro. As urgências e emergências estarão garantidas. 

Os médicos reivindicam respeito aos direitos dos pacientes, fim das pressões para reduzir exames, internações e outros procedimentos essenciais ao adequado tratamento, valorização imediata dos honorários e inserção de cláusula de reajuste anual nos contratos. 

A plenária foi organizada pela APM e suas Regionais, Cremesp, Sindicatos de São Paulo, Academia de Medicina de São Paulo e Sociedades de Especialidade. Durante o encontro, os médicos deram mais uma vez cartão vermelho aos planos de saúde. 

A decisão de suspender o atendimento tem como objetivo chamar a atenção da opinião pública sobre a postura dos planos de saúde de não apresentar propostas consistentes aos profissionais de medicina. Esta é a primeira vez este ano que haverá paralisação dos médicos. Em 25 de abril, a classe organizou histórica manifestação na Avenida Paulista e procurou as empresas do setor de saúde suplementar para o diálogo. 

Desde então, foram realizadas mais de 30 reuniões com 18 operadoras. Mesmo assim, nenhuma delas atendeu a expectativa da classe de pagar R$ 80 pela consulta, os valores da CBHPM para os procedimentos e colocar em contrato o reajuste anual. O diretor adjunto de Defesa Profissional da APM, Marun David Cury, apresentou o resultado das negociações. Veja abaixo. 

Lideranças 

Para o presidente da APM, Florisval Meinão, as entidades estão realizando um trabalho intenso e esta experiência, desde o movimento do ano passado, tem sido bastante positiva, pois houve avanços significativos no valor da consulta e agora o início da recomposição dos valores dos procedimentos. ``O importante é que os médicos continuam mobilizados e firmes nas ações pela valorização de seu trabalho e pelo atendimento de qualidade aos pacientes”, ressalta. 

O deputado Eleuses Paiva, ex-presidente da APM e da Associação Médica Brasileira, participou da plenária e lembrou a aprovação do projeto de lei 6964 pela Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara, onde foi relator. A matéria institui o reajuste anual para os médicos na saúde suplementar e preconiza que, se não houver acordo entre os profissionais e os planos de saúde, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) arbitrará o índice. ``A união entre as entidades médicas é o único caminho viável para enfrentar o poder econômico das operadoras”, enfatiza o parlamentar. 

``Vivemos um momento crítico, em que necessitamos de ganhos concretos para manter abertas as portas dos consultórios”, destaca o diretor de Defesa Profissional da APM, João Sobreira de Moura Neto. ``As empresas têm tido autorização para aumentar suas mensalidades acima da inflação desde o início da regulação do setor. Todos lucram na saúde suplementar, menos o médico, que fica com toda a responsabilidade sobre cada caso atendido e recebe remuneração aviltante”, reforça o presidente do Cremesp, Renato Azevedo Júnior. 

Também participaram da plenária o presidente da Associação Médica Mundial, José Luiz Gomes do Amaral; o vice-presidente da Associação Médica Brasileira, Jorge Carlos Machado Curi; o presidente do Simesp, Cid Carvalhaes; e o representante da Academia, José Roberto Baratella; entre diversas lideranças médicas. 

A próxima reunião das entidades e sociedades de especialidades está agendada para 20 de agosto. Enquanto isso, uma comissão de trabalho iniciará a organização das atividades relativas à suspensão do atendimento no dia 6 de setembro. 

Fonte: AMB

<<Voltar para Notícias




Receba as nossas novidades em seu e-mail.
Nome:

Data de Nascimento:

Email:




Esclarecimento de quaisquer dúvidas, no prazo de 48 atendimento jurídico virtual(quarenta e oito) horas nas áreas trabalhista (preventiva e contenciosa) e da saúde, através de atendimento virtual.

MAIS

Avenida Paulista, 2.202 – conj. 31 - Cerqueira Cesar – São Paulo - CEP 01310-932
Telefone: (11) 4063-0693 - E-mail: mnmakino.direitomedico@gmail.com
Website desenvolvido por: Andréa Mari