RS: Denúncia de cobrança adicional

Pacientes com plano de saúde dizem que médicos cobravam extra no RS

Pacientes com planos de saúde em Caxias do Sul, na Serra do Rio Grande do Sul, reclamam de taxas extras cobradas por médicos para serem atendidos. A reportagem do Bom Dia Rio Grande, da RBS TV, encontrou dois casos relacionados a consultas com obstetras que cobraram para realizar partos, segundo os pacientes. 

Marcos João Rech, encarregado de Recursos Humanos, tinha uma relação de confiança com o obstetra que iria fazer o parto do filho. Por isso, até aceitou pagar um valor extra, mesmo tendo plano de saúde. ``Falou para minha esposa que teria uma diferença de 500 reais adicionais, duas consultas depois relembrou que tinha essa diferença e a princípio a gente ia pagar.`` O casal só não pagou, porque o bebê nasceu prematuro e, no dia da cesariana, o médico não apareceu. 

Já a obstetra da dona de casa de Lilian dos Santos pediu R$ 2 mil reais para fazer o parto. Segundo a médica, era um acordo entre elas. Lilian ficou assustada, tinha confiança na profissional. Mas decidiu não pagar e trocou de médico. ``Eu não teria condições de pagar e mesmo depois, se tivesse, não seria justo porque eu estava pagando um plano particular. O valor que estava sendo exigido estava sendo pago.`` 

O argumento dos médicos é de que o valor pago pelos planos de saúde é muito baixo. Mas a cobrança extra é proibida pelas operadoras. O profissional que exige esse tipo de pagamento recebe duas vezes: pelo plano e pelo paciente. 

``Isso não é permitido, a pessoa poder ter um tipo de contrato onde isso não está previsto e o médico, sob alegação de que ganha pouco no plano de saúde ou pelo SUS e, por isso, cobrar algo que não está previsto em contrato``, esclarece o presidente do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers), Rogério Wolf de Aguiar, presidente do Cremers. 

O presidente ainda orienta os pacientes a reclamarem, primeiro, com as operadoras dos planos de saúde. Segundo ele, o Cremers costuma abrir sindicância para casos como esse, mas diz que o Conselho ainda não recebeu denúncia formal. 

O Sindicato dos Médicos de Caxias do Sul lembra que as cobranças adicionais feitas diretamente pelos médicos aos pacientes devem ocorrer apenas quando estiverem previstas no contrato. 

Fonte: Portal G1 RS

<<Voltar para Notícias




Receba as nossas novidades em seu e-mail.
Nome:

Data de Nascimento:

Email:




Esclarecimento de quaisquer dúvidas, no prazo de 48 atendimento jurídico virtual(quarenta e oito) horas nas áreas trabalhista (preventiva e contenciosa) e da saúde, através de atendimento virtual.

MAIS

Avenida Paulista, 2.202 – conj. 31 - Cerqueira Cesar – São Paulo - CEP 01310-932
Telefone: (11) 4063-0693 - E-mail: mnmakino.direitomedico@gmail.com
Website desenvolvido por: Andréa Mari