Vigilância interdita UTI de hospital

Samaritano de Campinas teve UTI para adultos fechada por falta de salubridade

A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulta do Hospital Evangélico Samaratino de Campinas, no interior de São Paulo, foi interditada ontem pela Vigilância Sanitária por falta de condições de uso. A interdição ocorreu após o órgão da Secretaria Municipal de Saúde verificar que havia bolor nas pareces, no teto e até no piso da unidade, além de infiltração, acúmulo de umidade e vazamento de água.

A ordem para interdição foi publicada na edição de ontem do Diário Oficial do Município. A medida determinou a imediata remoção de todos os pacientes internados no setor.
No ato de interdição, a vigilância alega que a medida foi tomada por falta de condições de “salubridade no local”.

A Secretaria Municipal de Saúde condicionou a desinterdição da UTI para adultos à remoção de todos os pacientes do local e à solução para os problemas apontados pela vigilância.
Caberá ao hospital promover a reforma do espaço e oferecer condições adequadas para que a vigilância libere a UTI para funcionamento.

No ano passado, outra área do mesmo hospital também foi interditada dentro das inspeções feitas pelo órgão. A administradora de empresas Lilian Gomes Mourão, de 42 anos, que teve um tio internado nessa unidade recentemente, afirmou que o problema é antigo, mas que não acreditava que pudesse haver riscos para a saúde dos pacientes. “Por ser uma UTI, sempre achamos que as condições sanitárias são adequadas para os pacientes internados”, afirmou.

Remoção. Por meio de nota, o Hospital Samaritano informou que os pacientes que estavam internados na unidade foram “realocados para as demais UTIs que o hospital possui”, já que havia número suficiente de vagas na unidade para isso.

Administrado pela Associação Evangélica Beneficente de Campinas (Asebec), o Hospital Adventista Samaritano é um dos principais de Campinas, com 132 leitos de atendimento de cirurgia geral, clínica geral, UTI adulto, UTI infantil, UTI neonatal, obstetrícia, pediatria clínica, hospital dia, unidade coronariana e hemodinâmica.

Com sete salas cirúrgicas, a unidade realiza por mês uma média de 500 procedimentos. O hospital afirma que o atendimento aos pacientes não será afetado durante a interdição.

O hospital não comentou os problemas encontrados pela Vigilância Sanitária na UTI de adultos. Também não informou o número de pacientes que estavam internados e que tiveram de ser remanejados.

A assessoria de imprensa do hospital confirmou apenas que passou por fiscalização da Vigilância Sanitária. E que as exigências de melhorias apontadas pelo órgão da Secretaria de Saúde para a continuidade de funcionamento da UTI para adultos “foram prontamente atendidas”.


Fonte: O Estado de S.Paulo

<<Voltar para Notícias




Receba as nossas novidades em seu e-mail.
Nome:

Data de Nascimento:

Email:




Esclarecimento de quaisquer dúvidas, no prazo de 48 atendimento jurídico virtual(quarenta e oito) horas nas áreas trabalhista (preventiva e contenciosa) e da saúde, através de atendimento virtual.

MAIS

Avenida Paulista, 2.202 – conj. 31 - Cerqueira Cesar – São Paulo - CEP 01310-932
Telefone: (11) 4063-0693 - E-mail: mnmakino.direitomedico@gmail.com
Website desenvolvido por: Andréa Mari